PIX: O que é, como cadastrar e serviços

O PIX é o novo sistema de pagamento eletrônico instantâneo, criado pelo Banco Central do Brasil (BACEN). Tem como objetivo trazer competitividade, estimulando a concorrência e diminuindo os custos de transações no país.

Desse modo, abaixo explicaremos para você que é pessoa física, as vantagens e meios de utilização desta nova plataforma. Pois, em meio a era digital, é de se esperar novas formas de se fazer e receber pagamentos.

Sobre o mercado de meios de pagamento no Brasil

Antes de explicar sobre o PIX, é interessante entender um pouco sobre o funcionamento do mercado de pagamentos eletrônicos brasileiro. Assim, para que este sistema funcione serão necessários quatro agentes neste processo:

Bandeiras

São empresas que regulam o mercado de pagamentos, tornando este meio de pagamento viável. Bem como, fazem filiação junto às instituições financeiras a fim de permitir as transações. Alguns destes exemplos são:

  • American Express;
  • Alelo;
  • Visa;
  • Mastercard

Adquirentes

Também conhecidas como credenciadoras, são as empresas encarregadas de dar o credenciamento aos estabelecimentos comerciais. Desse modo, eles estarão aptos a receber cartões de débito/crédito como forma de pagamento.

Para isto os donos dos pontos comerciais devem alugar ou comprar as máquinas leitoras de cartão. Neste caso as adquirentes serão a ponte entre a bandeira, o lojista e o banco. Alguns destas adquirentes são:

  • Cielo;
  • Getnet;
  • Rede;
  • Stone

Instituição Financeira

Regulamentado pelo BACEN, os bancos que têm a função de emitir os cartões e fazer as transações financeiras.

Gateways

No caso de compras no e-commerce, os gateways que fazem esta conexão entre os bancos e os comerciantes. Alguns exemplos deles são:

Para se ter uma ideia, o mercado de pagamentos eletrônicos movimentou ano passado R$ 2 trilhões, só no Brasil. Por isso que o BACEN se viu na obrigação de abrir um novo mercado, criando o PIX.

Certamente o consumidor terá mais possibilidades de escolha na hora de pagar as suas compras ou serviços. E com isso, haverá também a busca pelas empresas em ofertar menores preços de transações para o consumidor.

O que fazer para se cadastrar no PIX

Você consumidor, já deve ter sido convidado a fazer o pré-cadastro do PIX pelo seu banco. Ou mesmo ter visto sobre a plataforma nas redes sociais ou em propagandas na TV.

Enfim, o registro começou a ser realizado agora no mês de outubro, com lançamento para 16 de novembro de 2020. Já o cadastro da pessoa física deverá ser feito pelo banco que gerencia a sua conta, sem custas de serviço.

O procedimento é fácil, o cliente deverá ter em alguma instituição financeira, conta corrente, conta poupança ou carteira eletrônica. Através desta conta, será criada as chaves PIX, que poderá ser:

  • CPF;
  • E-mail;
  • Telefone

Estas “chaves” é que vão dar acesso ao cliente para que ele seja identificado e realize as transações desejadas. Uma observação importante é que a pessoa poderá ter as chaves em mais de uma instituição financeira bancária.

Contudo, apenas uma chave poderá ser utilizada em cada banco. Por exemplo, Beatriz tem duas contas em banco diferentes. Então ela poderá no banco X utilizar seu CPF como chave. Porém no banco Y, irá utilizar seu e-mail para a  chave.

Caso o cliente não tenha feito o seu cadastro não haverá problemas em utilizar o sistema. Mas o BACEN orienta que se faça o cadastro, para uma melhor segurança na utilização dela.

Quais serviços são oferecidos pelo PIX

As pessoas têm sido orientadas a se cadastrar no PIX a fim de realizar transferências bancárias em qualquer dia. Ou seja, o TED e DOC, poderão ser feitos aos finais de semana e feriados. A qualquer hora e sem custo.

No entanto, o sistema não só oferece este serviço. O cliente poderá também fazer pagamentos sem o uso do cartão de débito ou dinheiro. Já que o sistema terá a operação do QR Code, via celular. Dessa maneira, o cliente poderá:

Pagamentos de boletos bancários ou via internet

Neste caso, o consumidor poderá fazer o pagamento do boleto bancário, com processamento de forma instantânea. Será vantajoso para os comerciantes, já que o dinheiro caíra em tempo real no seu comércio.

Também será através do aplicativo, que o consumidor poderá pagar as suas compras via sistema do QR Code. Para isso, o comerciante cria na hora o QR Code do produto. Ou deixa impresso e em lugar visível para que o cliente possa pagar.

Parcelamento via crédito

Haverá a opção do PIX agendado, que será a forma do pagamento em crédito. Entretanto da forma que é hoje não será benéfico para o comerciante. Isso porque, caso não haja dinheiro na conta no dia do pagamento, a operação será cancelada.

Além disso não haverá garantias para que o comerciante consiga receber o valor do parcelamento.

Segurança para utilização do PIX

O BACEN deixou claro que o sistema do PIX não terá uma padronização em sua segurança nas transações. Em vista disso cada instituição bancária deverá criar as competências de uso dentro de seu sistema.

Isto é, elas deverão atenuar os riscos e criar barreiras antifraude de acordo com a política da empresa bancária. Cada uma fará as suas regras para a proteção do consumidor.

Todavia, os clientes deverão tomar os mesmos cuidados que tomariam em qualquer operação bancária para evitar golpes. Inclusive, o cliente deverá tomar cuidado sobre os próprios erros cometidos.

Uma vez que o PIX faz as transferências instantaneamente, qualquer pagamento feito por engano não terá garantia de ressarcimento. Estes encargos também ficarão à cargo de cada banco para que decidam o que fazer.

Leave a Reply