O que é Value Investing? Saiba como funciona

Mais uma modalidade no mundo dos investimentos. O Value Investing é bem adaptável ao perfil dos seus investidores. Leia mais a seguir.

Para quem investe no mercado de ações, nada mais importante do que conhecer todas as estratégias possíveis. Tanto aquelas que podem levar ao sucesso quanto aquelas que fazem o caminho contrário.

Dentre as táticas desse segmento, destaca-se o Value Investing. Apesar do nome extravagante, seu conceito e usabilidade são bastante simples. Mas não basta só saber, é preciso entender esse conceito a fundo.

Entendendo Value Investing

Muito utilizada atualmente, a estratégia de Value Investing tem como característica principal a adaptabilidade ao perfil do investidor. E a tradução literal deste termo seria “Investimento em Valor”.

De modo geral, o Value Investing relaciona-se diretamente ao conceito de Margem de Segurança. Assim, o investidor realiza suas próprias análises e escolhe investimentos conforme seus interesses.

No entanto, a estratégia está em selecionar ações de grandes empresas, mas que podem estar subvalorizadas no momento. Ou seja, o investidor escolhe aquelas em que os preços de venda estão abaixo do valor de mercado.

Contudo, o Value Investing é mais adequado para quem busca investimentos de longo prazo. Justamente pelo fato desses ativos estarem abaixo do valor real de mercado, e buscarem uma retomada no mercado de ações.

Para quem se interessa por esse método de investimento, é imprescindível entender sobre análise fundamentalista. Ou seja, entender o contexto financeiro, mercadológico e político da empresa.

Além disso, para quem torna o Value Investing como sua base de investimentos, acredita na oscilação constante do mercado. Assim, conseguem gerar oportunidades de compra para os ativos em déficit.

A essa oscilação mercadológica dá-se o nome de Lei da Oferta e Procura. Ou seja, se a demanda é alta e a oferta é baixa, a tendência é que os preços aumentem.

E ao contrário também. Quando a oferta de vendas é alta, porém a demanda pela compra é baixa, a tendência é a queda dos preços. Entretanto, essa oscilação não necessariamente interfere no “valor” de mercado da empresa.

Value Investing

Como iniciar no Value Investing

Inicialmente, deve-se entender que o que é simples deve continuar simples. Segundo Warren Buffett, um investidor de sucesso não precisa compreender os conceitos complexos nem dominar as análises técnicas.

Outro ponto crucial para entender bem o Value Investing é pensar como se você fosse sócio de uma grande empresa. Visto que este tipo de investimento é de longo prazo, deve-se ficar atento à saúde financeira da “sua” empresa.

Busque ativos de empresas que sejam de fácil compreensão, com preços racionais e lucros exponenciais no longo prazo. O Value Investing é um tipo de investimento simples, lógico e racional.

Garimpar o mercado de ações em busca de papéis com preços abaixo do seu valor real. A Margem de Segurança é um dos pilares desse tipo de investimento. E que trarão grandes resultados no longo prazo.

Mas só porque uma ação está com o preço baixo não significa que você deve comprar no impulso. O bom investidor de Value Investing sabe analisar e encontrar o equilíbrio entre preço, valor e oportunidade de compra.

Ficar de olho no mercado é bom, mas nem sempre é eficiente. Apesar da volatilidade que circunda o mercado de ações, saber separar o que é informação importante do que é especulação faz uma grande diferença.

A postura do investidor em Value Investing deve ser oposta aos investidores do Day Trade. Para ganhar no longo prazo, a lógica deve ser de comprar quando todos estão vendendo, e de vender quando todos estão comprando.

Os grandes do Value Investing

Dentro do mercado de ações, também existem os grandes personagens, que montaram suas fortunas em ativos. No âmbito do Value Investing não há como deixar de falar de Graham e Buffett.

Benjamin Graham foi um dos precursores do Value Investing. Sua carreira teve como base a compra de ações com preços abaixo do valor de mercado, buscando assim diminuir os riscos do investimento no longo prazo.

Seu entendimento nessa área resultou na publicação de dois livros. “O investidor Inteligente” e “Security Analysis” retratam justamente sobre os temas da análise fundamentalista e Value Investing.

Warren Buffett foi pupilo de Graham. Seguindo os passos de seu mestre e orientador, começou seus investimentos no mercado de ações aos 14 anos. E aos 30 anos já era um reconhecido milionário da Bolsa de Valores.

Sua forma de raciocínio é de sempre manter uma postura de acionista das empresas, e não apenas compra de papéis. Tanto que adquiriu a maioria das ações da Berkshire Hathaway e então passou a controlar a empresa.

Outro grande nome do Value Investing é Seth Klarman. Para o investidor, a compra de ações deve estar baseada na maior margem de segurança possível. Atualmente, sua fortuna pessoal é estimada em mais de US$ 1,5 bilhões.

Saber analisar as ações que tem uma grande margem de segurança entre preço e valor é a melhor estratégia. De modo geral, o Value Investing é uma excelente opção para quem opta em investimentos no longo prazo.

Rate this post

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Top