IGPM Acumulado 2022: Tabela Inflação, Aluguel, Câmbio e Ouro

Confira o IGPM Acumulado 2021,  Índice Geral de Preços de Mercado (IGPM) é utilizado como referência no que diz respeito à correção de contrato de aluguéis residenciais. Em janeiro, o IGPM subiu 2,58%, bem superior ao de dezembro de 2020 que foi de 0,96% sendo um dos maiores níveis desde 2013.

No entanto, a inflação continua dentro das estimativas das Projeções Broadcast, que previam uma pausa entre 1,22% e 1,75%.

Deste modo, o IGPM acumulado está com uma alta de 6,74% em 12 meses, bem superior ao registrado em janeiro de 2018, onde o índice havia subido 0,76% e acumulava queda de 0,41% em 12 meses.

No mais, durante o primeiro mês deste ano, o indicador de acumulação registra 6,74% de elevação.

O que é IGPM Acumulado

Você em algum momento já ouviu falar sobre o IGP-M acumulado, mas ainda não sabe o que é?

O indicador nada mais é do que a soma de todos os valores do IPG-M acumulados em um período de 12 meses. Neste caso, é possível saber ao certo como reajustar o contrato de aluguel na data de vencimento do mesmo, seja ele comercial ou residencial.

O IGP é composto por mais 3 índices, confira quais:

• Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) – representa 60%
• Índice de Preços ao Consumidor (IPC) – representa 30%
• Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) – representa 10%

Cada índice deste correspondem a parcelas da despesa interna bruta, calculadas com base nas Contas Nacionais, veja a representação gráfica.

Como o IGP-M é utilizado:

IGP-M é um dos índices componentes de fórmulas paramétricas utilizadas por empresas de telefonia e de energia elétrica, respondendo parcialmente pelos reajustes tarifários desses segmentos. O Índice Geral de Preços – Mercado também é utilizado como o indexador de contratos de empresas prestadoras de serviço de diversas categorias, como educação e planos de saúde. Além disso, o IGP-M se popularizou por ser amplamente utilizado como referência para o setor imobiliário, para o reajuste de contratos de aluguel.

Por seu histórico regular de divulgação desde a década de 1940, o IGP-M também é citado em vários contratos público-privados dos mais variados segmentos. Alguns de seus componentes, como o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), também servem de referência para reajustes de preços.

Saiba mais!

Efeito da greve dos caminhoneiros – IGPM Acumulado

Todos sabem que a greve dos caminhoneiros em 2018 gerou grandes impactos no setor financeiro. Mas, depois que a poeira abaixou, o principal ponto de sustentação do IGPM passou a ser a desvalorização do real frente ao dólar.

Ademais, a depressão cambial e a pressão sobre gastos de produtos dolarizados auxiliam para a crescente inflação. Há três indicadores do IGPM: Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPAM), que acelerou 1,00% para 2,19% entre os meses de agosto e setembro; o Índice Nacional de Custo da Construção (INCCM), que desacelerou para 0,17% e, por fim, o Índice de Preços do Consumidor Amplo (IPCM) que acelerou para 0,28%.

IGMP Acumulado

O IGP-M acumulado é o percentual comparado do  valor do indicador em determinado mês em relação ao seu valor no encerramento do ano anterior.Na tabela baixo consta a partir de 1995 até 2018.

IGPM acumulado

Indicadores Econômicos em Janeiro de 2022

Confira o IGPM Acumulado referente ao ano de 2021 até o mês de dezembro, os números do  IGPM Acumulado constam na tabela  IGPM Acumulado desde 1989. Veja a tabela do IGPM Acumulado nos últimos 12 meses, no ano, no mês e o  IGPM Acumulado desde junho de 89.

A/M JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ACUMULADO
1989

 

 

 

 

 

19,68%

35,91%

36,91%

39,92%

40,64%

40,48%

47,13%

805,76%
1990

61,46%

81,29%

83,95%

28,35%

5,93%

9,94%

12,01%

13,62%

12,80%

12,97%

16,86%

18,00%

1.699,87%
1991

17,70%

21,02%

9,19%

7,81%

7,48%

8,48%

13,22%

15,25%

14,93%

22,63%

25,62%

23,63%

458,38%
1992

23,56%

27,86%

21,39%

19,94%

20,43%

23,61%

21,84%

24,63%

25,27%

26,76%

23,43%

25,08%

1.174,67%
1993

25,83%

28,42%

26,25%

28,83%

29,70%

31,49%

31,25%

31,79%

35,28%

35,04%

36,15%

38,32%

2.567,34%
1994

39,07%

40,78%

45,71%

40,91%

42,58%

45,21%

40,00%

7,56%

1,75%

1,82%

2,85%

0,84%

1.246,61%
1995

0,92%

1,39%

1,12%

2,10%

0,58%

2,46%

1,82%

2,20%

(-)0,71%

0,52%

1,20%

0,71%

15,24%
1996

1,73%

0,97%

0,40%

0,32%

1,55%

1,02%

1,35%

0,28%

0,10%

0,19%

0,20%

0,73%

9,19%
1997

1,77%

0,43%

1,15%

0,68%

0,21%

0,74%

0,09%

0,09%

0,48%

0,37%

0,64%

0,84%

7,74%
1998

0,96%

0,18%

0,19%

0,13%

0,14%

0,38%

(-)0,17%

(-)0,16%

(-)0,08%

0,08%

(-)0,32%

0,45%

1,79%
1999

0,84%

3,61%

2,83%

0,71%

(-)0,29%

0,36%

1,55%

1,56%

1,45%

1,70%

2,39%

1,81%

20,10%
2000

1,24%

0,35%

0,15%

0,23%

0,31%

0,85%

1,57%

2,39%

1,16%

0,38%

0,29%

0,63%

9,95%
2001

0,62%

0,23%

0,56%

1,00%

0,86%

0,98%

1,48%

1,38%

0,31%

1,18%

1,10%

0,22%

10,37%
2002

0,36%

0,06%

0,09%

0,56%

0,83%

1,54%

1,95%

2,32%

2,40%

3,87%

5,19%

3,75%

25,30%
2003

2,33%

2,28%

1,53%

0,92%

(-)0,26%

(-)1,00%

(-)0,42%

0,38%

1,18%

0,38%

0,49%

0,61%

8,71%
2004

0,88%

0,69%

1,13%

1,21%

1,31%

1,38%

1,31%

1,22%

0,69%

0,39%

0,82%

0,74%

12,42%
2005

0,39%

0,30%

0,85%

0,86%

(-)0,22%

(-)0,44%

(-)0,34%

(-)0,65%

(-)0,53%

0,60%

0,40%

(-)0,01%

1,21%
2006

0,92%

0,01%

(-)0,23%

(-)0,42%

0,38%

0,75%

0,18%

0,37%

0,29%

0,47%

0,75%

0,32%

3,83%
2007

0,50%

0,27%

0,34%

0,04%

0,04%

0,26%

0,28%

0,98%

1,29%

1,05%

0,69%

1,76%

7,75%
2008

1,09%

0,53%

0,74%

0,69%

1,61%

1,98%

1,76%

(-)0,32%

0,11%

0,98%

0,38%

(-)0,13%

9,81%
2009

(-)0,44%

0,26%

(-)0,74%

(-)0,15%

(-)0,07%

(-)0,10%

(-)0,43%

(-)0,36%

0,42%

0,05%

0,10%

(-)0,26%

(-)1,72%
2010

0,63%

1,18%

0,94%

0,77%

1,19%

0,85%

0,15%

0,77%

1,15%

1,01%

1,45%

0,69%

11,32%
2011

0,79%

1,00%

0,62%

0,45%

0,43%

(-)0,18%

(-)0,12%

0,44%

0,65%

0,53%

0,50%

(-)0,12%

5,10%
2012

0,25%

(-)0,06%

0,43%

0,85%

1,02%

0,66%

1,34%

1,43%

0,97%

0,02%

(-)0,03%

0,68%

7,82%
2013

0,34%

0,29%

0,21%

0,15%

0,00%

0,75%

0,26%

0,15%

1,50%

0,86%

0,29%

0,60%

5,51%
2014

0,48%

0,38%

1,67%

0,78%

(-)0,13%

(-)0,74%

(-)0,61%

(-)0,27%

0,20%

0,28%

0,98%

0,62%

3,69%
2015

0,76%

0,27%

0,98%

1,17%

0,41%

0,67%

0,69%

0,28%

0,95%

1,89%

1,52%

0,49%

10,54%
2016

1,14%

1.29%

0,51%

0,33%

0,82%

1,69%

0,18%

0,15%

0,20%

0,16%

(-)0,03%

0,54%

7,17%
2017

0,64%

0,08%

0,01%

(-)1,10%

(-)0,93%

(-)0,67%

(-)0,72%

0,10%

0,47%

0,20%

0,52%

0,89%

(-)0,52%
2018

0,76%

0,07%

0,64%

0,57%

1,38%

1,87%

0,51%

0,70%

1,52%

0,89%

(-)0,49%

(-)1,08%

7,54%
2019

0,01%

0,88%

1,26%

0,92%

0,45%

0,80%

0,40%

(-)0,67%

(-)0,01%

0,68%

0,30%

2,09%

7,30%
2020

0,48%

(-)0,04%

1,24%

0,80%

0,28%

1,56%

2,23%

2,74%

4,34%

3,23%

3,28%

0,96%

23,14%
2021

2,58%

2,53%

2,94%

1,51%

4,10%

0,60%

0,78%

0,66%

(-)0,64%

0,64%

0,02%

0,87%

17,78%
2022

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
2023

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
2024

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
2025

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
A/M JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ACUMULADO

O primeiro mês de 2022 o índice deve ser manter baixo, uma vez que dezembro o percentual foi de 0,02%

se manteve estável, um bom indicador, uma vez que em dezembro houve uma queda de 1,08%

Mês/ano Índice do mês
(em %)
Índice acumulado
no ano (em %)
Índice acumulado nos últimos 12 meses
(em %)
Número índice
acumulado a partir
de Jan/93
Jan/2019 0,01 0,0100 6,7516 1.702,9690
Dez/2018 -1,08 7,5521 7,5521 1.702,7987
Nov/2018 -0,49 8,7264 9,6940 1.721,3897
Out/2018 0,89 9,2618 10,8074 1.729,8660
Set/2018 1,52 8,2979 10,0496 1.714,6060
Ago/2018 0,70 6,6764 8,9114 1.688,9342
Jul/2018 0,51 5,9349 8,2624 1.677,1938
Jun/2018 1,87 5,3974 6,9376 1.668,6835
Mai/2018 1,38 3,4626 4,2712 1.638,0519
Abr/2018 0,57 2,0542 1,8953 1.615,7545
Mar/2018 0,64 1,4758 0,2033 1.606,5969
Fev/2018 0,07 0,8305 -0,4239 1.596,3801
Jan/2018 0,76 0,7600 -0,4140 1.595,2634

Contudo, no último pregão do mês, a moeda norte-americana caiu, enquanto a bolsa apresentou alta. Devido ao parecer desfavorável do TSE à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Partido dos Trabalhadores – PT enfraqueceu, diminuindo a disputa eleitoral. Agora, Fernando Haddad assumiu no lugar o petista que se encontra preso em Curitiba.

O mês de setembro foi duro frente aos mercados doméstico e externo. O oitavo mês do ano foi marcado por uma queda drástica nas ações B3 e uma elevada alta do dólar, como de costume.

Câmbio e Ouro

Por outro lado, o IBOV fechou o pregão das últimas semanas com alta de 0,36%, aos 76.677 pontos, mas a queda do mês foi de 3,21%. O dólar comercial, por sua vez, fechou o último pregão com queda de 1,72%, sendo cotado a R$ 4,0721.

Moedas – Dólar/Euro

06/01/2022 – 16h12
Moeda Compra Venda Variação
Dólar Comercial 5,6819 5,6830 -0,59%
Dólar Turismo 5,7472 5,9272 0,10%
Euro Comercial 6,4162 6,4175 -0,75%
Euro Turismo 6,5443 6,7243 -0,01%

Ouro

COMPRA R$ 24.0600
VENDA R$ 24.1800
Aumento de +0.33%
Cotação 06/01/22

No mercado externo, depois que as notícias de que Donal Trump poderia implementar tarifas adicionais ás mercadorias chinesas, o clima ficou escuro. De acordo com os assessores do presidente norte-americano, ele estaria preparado para intensificar a disputa comercial com a China. Sendo assim, o risco do dólar retomar o movimento de alta a partir dos próximos pregões não é baixo, porém o ritmo de escalada alta pode ser amenizado nos próximos dias, especialmente depois da atuação do BC, com uma oferta de swap cambial. A queda foi forte, mas superou a baixa de 1,85% de 20 de julho deste ano. Em contraponto, a alta acumulada no último mês e de 8,49%, a elevação mais forte desde setembro de 2015, quando a alta foi de 9,34%.

No último pregão, os estrangeiros aumentaram a posição comparada à bolsa brasileira em R$ 205,26 milhões, resultado de compras de R$ 4,20 bilhões e vendas de R$ 3,99 bilhões.

No total acumulado, o resultado é de R$ 3,50 bilhões, uma vez que o saldo negativo do ano caiu para R$ 2,58 bilhões, indicando que os estrangeiros aproveitam a desvalorização da bolsa em dólar para acrescer suas posições, mesmo neste cenário de incertezas políticas.

Indicadores / Mês

Indicadores econômicos Último Anterior 12 meses No ano
 IPCA (%) 0,95 nov 2021 1,25 out 2021 10,74 9,26
 INPC (%) 0,84 nov 2021 1,16 out 2021 10,96 9,36
 IPCA-15 (%) 0,78 dez 2021 1,17 nov 2021 10,42 10,42
 IPP (%) 1,31 nov 2021 2,26 out 2021 28,86 28,36
 Custo do m² (%) 1,07 nov 2021 1,01 out 2021 20,33 18,04
 Variação do PIB (%) 4,0 3º tri 2021 12,3 2º tri 2021 3,9 5,7
 PIB per capita (R$) 35.161,70 2019 33.593,82 2018
 Indústria (%) -0,2 nov 2021 -0,6 out 2021 5,0 4,7
 Comércio (%) -0,1 out 2021 -1,1 set 2021 2,6 2,6
 Serviços (%) -1,2 out 2021 -0,7 set 2021 8,2 11,0

 

TABELAS ATUALIZADAS EM 31-DEZEMBRO-2021

Indicadores financeiros – Resumo

Indicadores
Cotação/Taxa
Dia
dez-21**
nov-21
out-21
2021
2020
12 M
24 M
60 M
CDI 9,15% 0,03% 0,76% 0,59% 0,48% 4,40% 2,77% 4,40% 7,28% 33,03%
SELIC 9,15% 0,03% 0,76% 0,59% 0,48% 4,40% 2,77% 4,40% 7,28% 33,06%
Dólar (Bacen) 5,5805 0,00% -0,70% -0,41% 3,74% 7,39% 28,93% 7,39% 38,45% 71,23%
Euro (Bacen) 6,3210 -0,04% -0,12% -2,93% 3,51% -0,89% 40,78% -0,89% 39,52% 83,84%
Dólar (Mercado) 5,5724 -0,06% -1,12% -0,19% 3,67% 7,27% 29,46% 7,27% 38,86% 71,47%
Euro (Mercado) 6,3422 0,45% -0,59% -2,25% 3,46% -0,55% 41,45% -0,55% 40,68% 84,95%
Ibovespa 104.822 0,00% 2,85% -1,53% -6,74% -11,93% 2,92% -11,93% -9,36% 74,04%
Ouro B3 330,00 0,00% 3,13% 0,47% 4,77% 4,43% 55,93% 4,43% 62,84% 177,78%
IGP-M 0,87% 0,02% 0,64% 17,78% 23,14% 17,78% 45,04% 66,49%
IPCA*** 0,62% 0,95% 1,25% 9,94% 4,52% 9,94% 14,91% 28,01%
Poupança nova* 0,49% 0,44% 0,36% 2,99% 2,11% 2,99% 5,16% 22,29%
Poupança antiga* 0,55% 0,50% 0,50% 6,22% 6,17% 6,22% 12,77% 35,76%
Poup. nova + IR* 0,58% 0,52% 0,42% 3,51% 2,48% 3,51% 6,07% 26,23%
Poup. ant. + IR* 0,65% 0,59% 0,59% 7,32% 7,26% 7,32% 15,02% 42,07%

 

Inflação – Fontes Diversas – Referência Atualizada: Dezembro/ 2021

ÍNDICES abr/21 mai/21 jun/21 jul/21 ago/21
INPC / IBGE (%)
IPCA / IBGE (%)
IPCA Esp / IBGE (%)
ICV / DIEESE (%)
IPC / FIPE (%)
IGP-DI / FGV (%)
IPA -DI / FGV (%)
IPC-DI / FGV (%)
INCC-DI / FGV (%)
IGP-M / FGV (%)
IPA-M / FGV (%)
IPC-M / FGV (%)
INCC-M / FGV (%)
CUB-Sinduscon (%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
0,38
0,31


0,44
2,22
2,90
0,23
0,90
1,51
1,84
0,44
0,95
1,41
0,96
0,83
0,44

0,41
3,40
4,20
0,81
2,22
4,10
5,23
0,61
1,80
2,23
0,60
0,53
0,83

0,81
0,11
-0,26
0,64
2,16
0,60
0,42
0,57
2,30
3,00
1,02
0,96


1,02
1,45
1,65
0,92
0,85
0,78
0,71
0,83
1,24
0,96
0,88
0,87
0,89

1,44
-0,14
-0,42
0,71
0,46
0,66
0,66
0,75
0,56
0,16
set/21 out/21 nov/21 dez/21 12meses
INPC / IBGE (%)
IPCA / IBGE (%)
IPCA Esp / IBGE (%)
ICV / DIEESE (%)
IPC / FIPE (%)
IGP-DI / FGV (%)
IPA -DI / FGV (%)
IPC-DI / FGV (%)
INCC-DI / FGV (%)
IGP-M / FGV (%)
IPA-M / FGV (%)
IPC-M / FGV (%)
INCC-M / FGV (%)
CUB-Sinduscon (%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
(%)
1,20
1,16
1,14

1,13
-0,55
-1,17
1,43
0,51
-0,64
-1,21
1,19
0,56
0,70
1,16
1,25


1,00
1,60
1,90
0,77
0,86
0,64
0,53
1,05
0,80
0,00
0,84
0,95


0,72
-0,58
-1,16
1,08
0,67
0,02
-0,29
0,93
0,71
0,24









0,87
0,95
0,84
0,30
10,96
10,74
10,42
3,07
9,96
17,16
19,61
9,89
14,25
17,78
20,57
9,32
14,03
14,30

Fonte: Folha Online, Valor Econômico, Ordem dos Economistas

Reajuste de Aluguel e outros contratos – IGPM Acumulado

Acumulado até JANEIRO/2022(*)
IGP-M FGV)
IGP-DI (FGV)
IPC-FIPE
1,1778
——-
——-
IPCA (IBGE)
INPC (IBGE)
ICV-DIEESE
——-
——-
——-

(*) Fatores válidos para contratos cujo último reajuste ocorreu há um ano; multiplique o valor pelo fator.

Fonte: Valor Econômico

Acumulado até Dezembro(*)
IGP-M FGV)
IGP-DI (FGV)
IPC-FIPE
1,0968
1,0838
1,0349
IPCA (IBGE)
INPC (IBGE)
ICV-DIEESE
1,0405
1,0356
1,0439

Fonte: Folha de São Paulo(*) Acumulado até Julho reajusta aluguéis e contratos a partir de Agosto, para pagamento em Setembro; acumulado até Agosto reajusta a partir de Setembro, para pagamento em Outubro.

TABELA MENSAL DO IMPOSTO SOBRE A RENDA DA PESSOA FÍSICA

1. Tabela Progressiva Mensal

Por meio da Medida Provisória nº 670, de 10/03/2015, publicada no DOU de 11/03/2015, foi alterada a Lei nº 11.482/07, entre outras, para dispor sobre os valores da tabela mensal do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física.

Assim, para o ano-calendário de 2014 e nos meses de janeiro a março do ano calendário de 2015, temos:

Base de Cálculo Mensal
Alíquota
A deduzir do Imposto
Até 1.903,98
De 1.903,99 até 2.826,65
De 2.826,66 até 3.751,05
De 3.751,06 até 4.664,68
Acima de 4.664,681

7,5
15
22,5
27,5

142,80
354,80
636,13
869,36

Dedução por dependentes: R$ 189,59

Fonte: Editorial Cenofisco

TABELA DE CONTRIBUIÇÃO DOS SEGURADOS EMPREGADO, EMPREGADO DOMÉSTICO E TRABALHADOR AVULSO, PARA PAGAMENTO DE REMUNERAÇÃO A PARTIR DE 1º DE JANEIRO DE 2021.

Salário-de-Contrbuição (R$)
Alíquota para Fins de Recolhimento ao INSS
Até 1.212,00 7,5%
De 1.212,01 até 2.203,48
9%
De 2.203,49 até 3.305,22 12%
De 3.305,23 até 6.433,57 14%

Fonte: Cenofisco

SALÁRIO MÍNIMO: a partir de 1º de JANEIRO de 2022

R$ 1.212,00 mês
R$ 40,40 / dia
R$ 5,51 / hora

Fonte: Medida Provisória nº 1.091 /21, de 30/12/21 – DOU, de 31/12/21

5/5 - (7 votes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Top